Artesan
Artesãos & Comunidades > Renda Filé (AMUR)
Foto de Renda Filé (AMUR)

Renda Filé (AMUR)

Não se sabe a origem exata do filé, mas é só observar o processo de feitura da renda que não se tem nenhuma dúvida da origem a partir da rede de pesca. Também é difícil dizer quando chegou a Alagoas, já que são tantas as influências europeias assimiladas pela sociedade brasileira no início de sua formação. Existe a suposição de que foram as mulheres portuguesas que transmitiram o conhecimento em terras nacionais. Ainda hoje, inclusive, algumas comunidades lusitanas tradicionais conservam a prática do filé, apesar de que este já possui diferenças consideráveis do brasileiro.

O filé é um trabalho de tecelagem manual, disposto sobre uma base em rede. Primeiro, a rede é preparada com uma agulha de uma árvore chamada Jenipaparana. A agulha é bem parecida com a utilizada para confeccionar a rede de pescar, embora menor e mais fina. A dimensão da malha é definida pelo molde, feito com uma palheta de bambu bem polida. Depois de pronta, a rede é logo engomada para facilitar o trabalho e, em seguida, esticada no tear. A filezeira (como as mulheres artesãs dessa renda são chamadas), então, enche a rede com lindos bordados, usando uma agulha de metal. Tudo com bastante cuidado e precisão.

As rendas mais antigas eram brancas. Antigamente, o processo de coloração era muito mais complexo, feito com corantes naturais ou plantas da região. Hoje em dia, com as linhas coloridas, o filé é criado com infinitas cores e combinações vibrantes. Com essa técnica tão cheia de personalidade e beleza, as artesãs confeccionam cortinas e outras peças mais difíceis somente por encomenda. Para vender, normalmente, fazem toalhas de mesa de todos os tamanhos, colchas, caminhos de mesa, bicos para toalhas, xales, panos de panos de bandeja, jogos americanos, almofadas e bolsas.

Produtos de Renda Filé (AMUR)

Outros artistas

Se inscreva em nossa newsletter e receba nossos conteúdos

Cadastro realizado com sucesso!
Ocorreu um erro, tente novamente.